Ionic 2 versão final

Análise geral

> Blog > Comunidade Ionic 2 versão final - Análise geral

Finalmente agora podemos confiar em produção a nova versão do framework mais badalado do momento, o Ionic. Ontem Max Lynch, co-fundador da empresa, anunciou o fim da jornada. Conforme relatou, a partir de agora a galera de Wisconsin irá trabalhar apenas em novos recursos de todo eco-sistema, investir em melhorias e corrigir falhas. Então podem ficar despreocupados em relação a novas versões e mudanças de API.

Voltando a março de 2015

Max revela que o time dele teve a oportunidade única de pegar toda a experiência que eles adquiriram construindo o Ionic 1 e re-imaginar tudo novamente em um cenário totalmente novo, um futuro que até então já não era mais tão distante.

O framework já estava presente em mais de 1 milhão de apps, com milhões de usuários, reduzindo drásticamente o tempo e consequentemente o custo de desenvolvimento dos aplicativos móveis.

Ele comenta que talvez o ponto mais importante foi que desenvolvedores web puderam se reinventar como mobile developers, tornando-se altamente produtivos, sem arriscar uma mudança completa na carreira e tecnologia. O desenvolvedor web evoluiu.

Nessa época a galera de Montain View procurou eles para construir, de perto, a nova versão do Ionic juntamente com o time do angular 2. Eles não pensaram duas vezes e abraçaram a causa de vez.

Acontece que com o decorrer do desenvolvimento nem tudo eram flores, eles começaram a desanimar e a se questionar se isso realmente daria certo. O angular estava muito instável, mudando muito, features que não funcionavam, o que fez com que eles se questionassem cada vez mais sobre algumas decisões da galera do angular. O stress estava tomando conta.

Typescript era um risco, não utilizar o ES6 por padrão parecia uma rejeição ao padrão da comunidade, permanecer utilizando html ao invés de JSX parecia como voltar ao passado. Os decorators eram uma incógnita.

Acabou que no final das contas, estas foram as melhores decisões tomadas pela equipe de Montain View. Atualmente a comunidade javascript está adotando o Typescript massivamente, mesmo fora do angular. Com novos transpilers surgindo a todo momento, o HTML se provou com resiliência ainda ser a melhor linguagem de marcação para UI. Decorators diminuíram drásticamente o boilerplate e adicionaram novos recursos valiosos para meta programming. O ponto é que a galera do angular teve uma visão sobre como deveria trabalhar um framework frontend, e não estavam nem um pouco preocupados em serem mal entendidos no começo.

No fim tudo deu certo e valeu muito a pena.

O que tem de novo no Ionic

Pra quem está trabalhando com angular/ionic 2 a algum tempo, a unica diferença é que agora ele está finalmente estável. Ready for production.

Componentes

Já existem uma karalhada de componentes cross-platform disponíveis. Agora o Ionic suporta completamente as 3 plataformas a partir do mesmo code base. E sim, tem FAB button pro Material Design, modais, menus, toasts e um novo sistema de navegação. Há também novos recursos interessantes como o DateTime picker.

Ionic Native

Uma humilde lista de 70+ plugins nativos encapsulados, prontos para trabalhar como qualquer outra web API, incluindo promessas e observadores.

Theming

O ionic já vem com tema light padrão para as três plataformas: iOS, Android e Windows Phone. Estão trabalhando em um outro tema escuro, mas é possível customizar qualquer coisa através das variáveis SASS, ou em última instância, alterando diretamente pelas classes dos elementos.

Website e documentação

O site do ionic teve um re-design e agora existe uma documentação bem extensa e revisada.

Performance

Com ionic 2 não é mais necessário uso de javascript para scrolling, agora os apps estão rolando com 60fps em ambos, Android ou iOS. A nova implementação de scroll virtual deixa possível a rolagem de listas extensas, incluindo imagens, sem perder muita qualidade. Nem se compara com apps que se utilizam dos eventos padrão de scroll. Com as novas features do angular e os novos recursos do browser, quando há alterações na aplicação, agora é possível reconstruir apenas o componente que mudou, reduzindo bastante o tempo de renderização. Por estes e outros motivos, o ionic 2 está infinitamente superior ao 1.

Error handling

Na versão RC eles introduziram o app-scripts, que mudou completamente o esquema de build (gulp para npm-scripts). Assim foi possível a criação de um controle melhor de erros e debugging em tempo real, direto na aplicação.

Ionic serve lab

Faça um preview de como está ficando sua app nas três plataformas ao mesmo tempo

Conclusão

Acredito que apostei certo quando resolvi criar meu produto Firetask. Comecei ele na versão alpha do Ionic e Angular, apenas por diversão, e olha aí no que deu =)

E aí galera, curtiram as novidades?

Comenta aí!

Links úteis

Ebook Angular 4

Aprenda o novo angular praticando


Download PDF

Experiências "boas" e "ruins", estou compartilhando tudo em minha jornada com

Angular, Ionic e Firebase

Aprenda desenvolver melhor

Últimas do blog

Continue Lendo

Angular Starter Boilerplate Um novo ponto de partida

Atualizando o Ionic 2 Com segurança